WebRadio

Central de Mídia

Vivendo na graça


Gostou? Compartilhe!

TEMPO DE REFLETIR 1326 – 18 de agosto de 2017

“Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável. Não me repulses da Tua presença, nem me retires o Teu Santo Espírito. Restitui-me a alegria da Tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário. Então, ensinarei aos transgressores os Teus caminhos, e os pecadores se converterão a Ti” (Salmo 51:9-13).

Entre os versículos 20 e 48 de Mateus 5, Jesus falou não só que a nossa justiça deve exceder a dos escribas e fariseus, mas que as implicações da lei para a vida diária são muito mais profundas e amplas do que qualquer fariseu jamais sonhou.

Enquanto mantivessem sua estreita e limitada definição de pecado como um ato exterior, eles estavam seguros no que dizia respeito à sua compreensão de perfeição.

Mas Jesus fizera explodir a presunção deles vez após outra no capítulo 5 de Mateus. Não só é pecado o homicídio, mas também todo pensamento pecaminoso e palavra impura. Não só é pecado o adultério, como também os pensamentos sensuais. E para completar, como cristãos não podemos sequer usar de desforra. Pelo contrário, somos ordenados a amar nossos inimigos e assim ser tão perfeitos como Deus.

Quem está apto para essas coisas? Ninguém de nós! Todos somos incapazes. Eu me considero uma pessoa de razoável força de vontade, e descobri que posso parar de fazer isso ou aquilo (digamos, parar de comer creme de amendoim) por minhas próprias forças. Mas minha satisfação própria e autossuficiência são totalmente destruídas pelos ensinos de Jesus em Mateus 5. Não tenho condições de amar todos os meus inimigos o tempo todo, a não ser pelo poder da graça de Deus.

Por isso, Mateus 5:21 a 48, e especialmente o versículo 48, me levam de volta, vez após outra, às Bem-aventuranças, quando reconheço minha pobreza de espírito, minha falta de pureza e falta de misericórdia. Como Davi na antiguidade, quando considero minha vida, comparando-a com o que eu deveria ser, tenho fome e sede da justiça de Deus.

Agradeço a Deus diariamente porque Ele é misericordioso, perdoador e amoroso, até mesmo para com aqueles que vacilam e caem, ou se tornam rebeldes.

Ajuda-me, Senhor, a ser mais semelhante a Ti!


-> Música: Henrique Ribeiro, “Quero viver como o meu Rei”
-> Locução: Amilton Menezes

Para receber pelo WhatsApp, adicione 41 9507 0705 e mande uma mensagem pedindo os áudios. Se você tem Telegram, adicione nosso canal: telegram.me/tempoderefletir – Prefira, porém, o aplicativo MANAH, onde você terá todos os áudios à disposição.

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook