WebRadio

Central de Mídia - WebRádio Maranatha

Terceira e quarta pragas


Gostou? Compartilhe!

ENCONTRO COM AS PROFECIAS 254

No programa de hoje vamos estudar a terceira e a quarta pragas do Apocalipse. Capítulo 16:4 – “Derramou o terceiro a sua taça nos rios e nas fontes das águas, e se tornaram em sangue.”

A segunda praga atingiu o mar e por certo causará muitos transtornos à navegação e às cidades marítimas. Mas a terceira praga atinge as fontes de água doce e os rios, e com essa ação de Deus os problemas aumentarão numa escala muito maior. Para aqueles que escolheram adorar a besta e a sua imagem os problemas crescerão na mesma proporção das pragas.

É provável que tanto o mar como as fontes das águas não sejam de todo transformados em sangue, porque as pragas não são universais, no sentido de atingir todos os ímpios, mas serão no sentido de existir manifestação em todas as partes do mundo. Em todos os lugares haverá sinais da manifestação da ira de Deus contra o pecado e seus seguidores.

Na segunda e terceira pragas as águas são transformadas em sangue (na sua cor, consistência e odor, mas não necessariamente na sua composição). Por que as duas taças da ira de Deus são derramadas nas águas salgada e doce?

Apocalipse 16:5 a 7, explica: “Então, ouvi o anjo das águas dizendo: Tu és justo, tu que és e que eras, o Santo, pois julgaste estas coisas; porquanto derramaram sangue de santos e de profetas, também sangue lhes têm dado a beber; são dignos disso. Ouvi do altar que se dizia: Certamente, ó Senhor Deus, Todo-Poderoso, verdadeiros e justos são os teus juízos.”

A própria Bíblia define a razão do sangue na segunda e terceira pragas. Nesse momento da história, os ímpios já foram julgados pelo tribunal divino, e foram condenados à morte eterna. “O anjo da águas, é uma forma de se referir ao anjo que tinha jurisdição sobre as águas… é também uma referência ao anjo encarregado de derramar a terceira praga sobre os rios e as fontes das águas” (C.B.A.S.D. vol. 7, p. 854).

O anjo está afirmando que a ação divina contra os ímpios é justa, porque esses estão recebendo as conseqüências de suas ações no passado. Eles mataram os profetas e muitos cristãos sinceros e planejam agora, matar todos aqueles que não adoram a besta e sua imagem.

Deus contra ataca essa lei com duas pragas. As águas salgadas e doces mudam de cor, odor e consistência. Os líderes políticos e religiosos querem ver o sangue correr dos poucos fiéis que ainda estão ao lado de Deus.

O que o profeta João está revelando a todos nós é algo muito sério. Ele está mostrando que o pecado não compensa. Aparentemente o erro vale a pena, mas é uma mera aparência, por pouco tempo. No final o preço que o pecado cobra é muito alto.

Os ímpios sempre desprezaram a Deus e à Sua Palavra, e agora recebem juízos diretos de Deus enviados por Seus anjos. Deus é justo, Ele cumpre o que promete.

A quarta praga foi derramada sobre o sol. “O quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, e foi-lhe dado queimar os homens com fogo. Com efeito, os homens se queimaram com intenso calor, e blasfemaram o nome de Deus, que tem autoridade sobre estes flagelos, e nem se arrependeram para lhe darem glória” (Apocalipse 16:8-9).

Os primeiros três flagelos foram derramados sobre a terra e o mar, mas o quarto é sobre o sol. A profecia diz que o sol vai queimar como se fosse fogo.
“O sol aquece e dá ânimo aos seres viventes, controla o crescimento das plantas, o clima, e muitos processos naturais necessários para a manutenção da vida na terra; mas sob a quarta praga enviará um excesso de calor que atormentará os homens e destruirá a vida… Mas os piores resultados desta praga são a seca e a fome que tomará conta de boa parte da terra” (C.B.A.S.D. vol. 7, p. 854).

O profeta Joel também descreveu esse momento que o nosso planeta vai viver após a oportunidade de salvação não ser mais oferecida ao homem. “O campo está assolado, e a terra, de luto, porque o cereal está destruído, a vide se secou, as olivas se murcharam… A vide se secou, a figueira se murchou, a romeira também… A semente mirrou debaixo dos seus torrões… Como geme o gado! As manadas de bois estão sobremodo inquietas, porque não têm pasto; também os rebanhos de ovelhas estão perecendo (Joel 1:10,12,17-18).

Essa praga será acompanhada de fome física, e também da maior de todas as fomes, que é a de ouvir a Palavra de Deus (Amós 8:11-12). Infelizmente, porém, essa busca pela palavra de Deus não significará arrependimento e sim desejo de se livrar dos juízos divinos.

Durante a quarta praga as pessoas vão blasfemar do nome de Deus, ou seja, culparão a Deus por seus sofrimentos. Elas não reconhecerão que os castigos que estão recebendo são apenas a colheita de suas ações, praticadas ao longo da vida. Ao invés de reconhecerem sua culpa, mostrarão toda sua rebelião contra Deus. Exatamente o que sempre foram e o que são.

No próximo programa estudaremos a quinta e a sexta pragas.

Amigo ouvinte, hoje é o tempo sobremodo oportuno para decidir de qual lado ficar. Escolha ficar ao lado da Palavra de Deus. Creia no Senhor para ficar seguro. Creia nos profetas dEle para prosperar.

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook