WebRadio

Central de Mídia

Purificados do pecado


Gostou? Compartilhe!

29-11 TDR 1064

TEMPO DE REFLETIR 1064 – 29 de novembro de 2016

“Se, porém, andarmos na luz, como Ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, Seu Filho, nos purifica de todo pecado” (I João 1:7).

Cristo cumprindo a lei e os profetas é uma das ideias mais abrangentes no Novo Testamento. E exatamente no centro do Novo Testamento e da fé cristã está a cruz de Cristo.

Você já pensou no formato dos Evangelhos, comparando-o com o de outras biografias? Os Evangelhos são biografias “anormais”, no sentido de que eles dão uma quantidade desproporcional de espaço para a história dos últimos dias de Cristo na Terra, Sua morte e ressurreição.

Os Evangelhos são diferentes da maioria de outras biografias e pessoas importantes. Uma biografia “normal” pode conter algumas centenas de páginas sobre a vida e as contribuições de seu personagem, e apenas umas cinco a dez páginas sobre a morte dessa pessoa. Isso porque o biógrafo está preocupado principalmente com a vida da pessoa.

Os Evangelhos são inigualáveis na história da literatura mundial nesse respeito. O seu ponto de enfoque é a morte do seu herói. João dedica quase a metade do seu Evangelho para dar cobertura a esse assunto. Mais estranho ainda, é que o herói do Evangelho não tem morte de herói. Sua morte (pela aparência exterior) foi uma morte de abandono por Deus (Mt 15:34), porque, como aprendemos dos autores do Novo Testamento, Ele estava carregando os pecados do mundo inteiro e morrendo pelos pecados de toda a humanidade.

Essa é a razão por que o sangue de Jesus é tão importante para os autores do Novo Testamento e para nós. Cada imagem da salvação no Novo Testamento é baseada no derramamento do sangue de Cristo.

Desse modo, lemos que: “Deus O apresentou (a Cristo) como sacrifício para propiciação… pelo Seu sangue” (Rm3:25, BLH), “nEle temos a redenção por meio de Seu sangue” (Ef 1:7, BLH), “agora fomos justificados por Seu sangue” (Rm 5:9, BLH), e Deus assim agiu para que “por meio dEle reconciliasse consigo todas as coisas, … estabelecendo a paz pelo Seu sangue derramado na cruz” (Cl 1:20, BLH).

Muito obrigado, Jesus, por cumprires a lei em Tua vida e em Tua morte. Muito obrigado por assumires a pena de morte por mim, para que eu possa ter ressurreição e vida em Ti. Agradeço muito por seres o Cordeiro de Deus.


-> Música: Melissa Barcelos, “Sacrifício de amor”
-> Locução: Amilton Menezes

Para receber pelo WhatsApp, adicione 41 99893-2056 e mande uma mensagem pedindo os áudios. Se você tem Telegram, adicione nosso canal: telegram.me/tempoderefletir

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook