WebRadio Maranatha

Não erreis


Gostou? Compartilhe!

ENCONTRO COM AS PROFECIAS 193

Que bom estar de volta com você para mais um programa da série Encontro com as Profecias. Novamente mais uma profecia feita pelo apóstolo Paulo.

Aliás, é importante destacar mais algumas curiosidades sobre esse grande apóstolo. “Paulo, nasceu como cidadão romano, provavelmente porque o seu pai também já era cidadão romano. Ao nascer, o menino recebeu o nome de Saulo, provavelmente devido ao rei Saulo, mas é possível que também fosse chamado Paulo como cognome latino. Paulo significa pequeno, e ele pode ter recebido esse nome, devido ao fato de seus pais o chamarem de “pequerrucho”, mas também é possível que ele tenha recebido o nome Paulo, simplesmente por ter o som semelhante ao nome Saulo” (Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia, vol. 5, pg.120).

O tema profético que será estudado neste momento, está registrado na primeira carta aos Coríntios 6:10, e traz a seguinte mensagem: “Não erreis: Nem devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino dos céus.”

O reino dos céus, ou no reino dos céus, não existirá erro, e é por esta causa, que Paulo já começa a sua profecia pedindo que não se erre, pois o erro não faz parte do caráter de Deus e muito menos o erro pode estar junto de Deus. Portanto, no reino de Deus ou na casa de Deus, o erro não poderá estar ali. Deus não pode conviver de forma pacífica com o erro, Ele é a fonte de verdade justiça e correção.

Neste reino, não é Deus quem impede as pessoas de estarem ali. São elas que escolhem não viver no reino dos céus. Cada filho de Deus faz as suas escolhas ao longo da vida, e estas vão estabelecendo como e onde viverá.

Portanto, o céu e a terra renovada são para todos; para todos os que escolherem e amarem a vida do céu. E como saber qual é a vida do céu? Basta apenas ter um pouco de boa vontade e começar a conhecer a Deus a Palavra dEle, não é mesmo?

O texto profético começa com a expressão não erreis. Isso quer dizer que ninguém deve ou precisa criar uma falsa ilusão. O pecado geralmente cega as pessoas. Com a prática ou passar do tempo o que é moralmente ou espiritualmente errado pode ser distorcido de tal forma que isso tudo pareça verdade ou correto.

Deus, porém, é muito claro: não se engane, não se iluda. Aquele que voluntariamente transgredir as leis que Ele estabeleceu para a felicidade do ser humano não pode querer exigir de Deus um prêmio como o reino dos céus.

Paulo diz ainda que no reino dos céus não haverá devassos. O que queria dizer com isso? Em algumas versões da Bíblia, a expressão usada é “impuro”. A palavra impuro ou devasso significa que uma pessoa está praticando em seu corpo todos as perversões sexuais ou morais.

Somente neste verso que estamos avaliando Paulo apresenta dez erros comuns na sociedade da época em que vivia. Paulo estava escrevendo a sua carta à Igreja de Corinto, e nesta cidade pagã, as perversões sexuais eram muito acentuadas. A impureza encabeça a lista, mas ela se divide em dois tipos de impurezas. A primeira é a impureza do corpo, e a segunda, é a impureza que envolve os direitos pessoais de cada cidadão.

Que tipo de impureza contra o corpo Paulo está condenando? A primeira é a idolatria. O que é idolatria? Como ele era manifestada nos dias de Paulo?
“A idolatria era um pecado derivado da sensualidade, porque entre os pagãos a prática sexual, com freqüência se relacionava com a adoração de ídolos. A outra razão porque a idolatria está na lista dos horríveis pecados de imoralidade, é porque a libertinagem se estabelece claramente no abuso sexual do corpo humano, e pode-se afirmar que os que praticam tais atos, acabam se convertendo em um ídolo para os demais” (S.D.A.B.C. vol. 6 pg.695).

A idolatria que Paulo estava falando é um pouco diferente do que hoje estamos acostumados a ouvir ou a ver. Hoje idolatria é adorar qualquer coisa acima de Deus. É adorar um carro, uma casa, a sabedoria humana, o prestígio, a fama, o bem estar. Se forem exageradamente considerados, são exemplos desta forma de idolatria, ou também pode ser uma destas imagens, que são chamadas de sagradas por algumas pessoas, e que são adoradas e reverenciadas como se fossem Deus. Paulo estava falando de algo mais grave.

Lembre-se, Paulo está escrevendo a igreja cristã de Corinto, e profetiza que aquele que continuasse envolvido com a idolatria, e todos sabiam do que Paulo estava falando, jamais entraria no reino dos céus.

Amigo ouvinte, os deuses apresentados ao ser humano do século 21 podem ser diferentes dos da época de Paulo. O risco, porém, é o mesmo: cristãos vivendo como pagãos. Vida religiosa apenas de aparência.  Um pé na igreja e outro no mundo. A doce ilusão de que é possível servir a dois senhores.

Lembre-se: somente Deus pode ser adorado. Somente Deus merece o primeiro lugar de sua vida. Somente Deus merece o melhor do seu tempo e de suas energias.

Não esqueça, idolatria em nossos dias é qualquer coisa que ocupe o lugar principal em sua vida, é qualquer coisa que ponha Deus em qualquer outro lugar, que não seja o primeiro.

Por isso quero encerrar o programa de hoje perguntando a você que me ouve: alguma coisa tem estado atrapalhando o seu relacionamento com Deus? Algo ou alguém tem sido prioridade na sua vida, e não o Criador?

Reflita nisso. Creia em Deus para estar seguro. Creia nos profetas dEle e você prosperará.

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook

WebRadio Maranatha