WebRadio

Central de Mídia

Luz da vida


Gostou? Compartilhe!

ENCONTRO COM AS PROFECIAS  182

Nos últimos programas apresentei aqui duas profecias que Jesus fez a respeito dEle próprio. A água e o pão da vida. Hoje vamos para João 8:12 – “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida”.

Por que Jesus afirmou que Ele era a luz do mundo e afirmou que quem andasse com Ele teria a luz da vida?

Esta declaração de Jesus estava, com toda a certeza, relacionada com a cerimônia das luzes. “Ao término do primeiro dia da festa dos tabernáculos, os sacerdotes desciam ao átrio das mulheres. Havia ali candelabros de ouro com quatro cálices em cima de cada um deles e quatro escadas para cada um, e quatro jovens vestidos com vestimentas sacerdotais levavam em suas mãos frascos com azeite que eram derramados nos cálices. De suas vestimentas que não usavam mais, faziam tochas e com elas ascendiam as lâmpadas; e não havia nenhum pátio em Jerusalém que não estivesse iluminado com a luz do lugar de onde se tirava água.

Homens piedosos e de boas obras saiam continuamente diante das pessoas que estavam no átrio das mulheres com tochas acessas em suas mãos, entoando cânticos e louvores. Inumeráveis levitas saiam com suas harpas, liras, címbalos e trompetes e outros instrumentos musicais”. (S.D.A.B.C. vol.5 pg.963)

Os estudiosos da Bíblia acreditam que esta expressão de Jesus tenha sido pronunciada no último dia da festa, bem ao entardecer. Durante todos os oito dias de festa, pela manhã, o item mais usado era a água, porém, ao entardecer, o que mais se via em todos os lugares do templo, eram lâmpadas sendo acessas.

“Desde a primeira noite, acendiam-se grandes lâmpadas de ouro no templo, especialmente no átrio das mulheres. Cada noite estas luzes eram acesas e em toda a cidade de Jerusalém repetia-se a mesma cerimônia, até o ponto de não ficar um único pátio interior sem ser abundantemente iluminado” (Comentário do Evangelho de João, Mario Veloso, p.198).

A festa era um verdadeiro show de luzes. A cidade ficava toda iluminada. Foi neste contexto que Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo”.

Uma das razões do porque Jesus usou esta expressão foi para aproveitar o momento que o povo estava vivendo. Jesus era um hábil evangelista. Ele usava as coisas comuns da vida para ensinar as maiores lições. Ele aproveitava todos os momentos possíveis para chamar a atenção das pessoas para as coisas espirituais.

O povo estava em festa, havia muita gente, a cidade estava lotada de peregrinos de todos os lados. As cerimônias eram feitas seguindo a sua rotina normal, porém, Jesus quebrou o protocolo da festa quando disse que Ele era a luz.
Há, ainda, uma outra razão de Cristo ter dito que era a luz. Usava conceitos já conhecidos da população. A comparação entre Deus e a luz não era estranha para ninguém. O Salmo 27:1, por exemplo, diz: “O Senhor é a minha luz e a minha salvação”. Outros textos mais:  “Porque em Ti está o manancial da vida; na tua luz veremos a luz” (Salmo 36:9). “Nunca mais se porá o teu sol, nem a tua lua minguará; porque o Senhor será a tua luz perpétua, e os dias de teu luto findarão” (Isaías 60:20).

Jesus não tinha nenhuma dúvida de quem Ele era. Ele era e é a luz. Sabia qual era a missão que teria de cumprir na terra. Segui-Lo significava andar na luz e não nas trevas.
Amigo ouvinte, esta era a grande proposta de Jesus para as pessoas de Seu tempo. Infelizmente, elas estavam tão cegadas com as tradições e conceitos pessoais, que tudo o que dizia não recebia a merecida atenção e valor.

As pessoas, no tempo de Jesus, preferiram viver na escuridão, nas trevas e na morte do que aceitar a luz, que era oferecida gratuitamente. Jesus estava na festa das luzes. Transitava entre as pessoas, porém, não era reconhecido.

Que triste o quadro dos adoradores de Jeová daqueles dias. Não havia lugar para a luz da vida, porque estavam cheios de conceitos pessoais e tradições inúteis.

E essa situação ocorre também nos dias de hoje. Teólogos e religiosos preocupados em defender suas teses e idéias humanas que não são confirmadas pela Bíblia. A tradição e a especulação predominam frente ao “assim diz o Senhor”.

Jesus, porém, garante: quem anda com Ele não fica em trevas. Não anda no escuro, não é enganado ou enrolado por argumentação humana.

As pessoas da época de Cristo não quiseram saber da luz. Não tiverem nenhum interesse em cumprir na vida deles a promessa de refletirem a luz da verdade.

Por isso, convido você que me ouve agora a refletir sobre esse assunto, incluindo-se de forma pessoal nessa questão. São apenas duas opções: luz ou trevas.

Avalie seus conceitos religiosos, as crenças que você tem. Coloque-os à prova diante da Bíblia e confirme-os, um a um com o que Deus deixou como verdade. Brilhe. Brilhe refletindo a luz que vem de Jesus. A luz que é vida.

Creia em Deus para estar seguro. Creia nos profetas dEle para prosperar.

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook