WebRadio

Central de Mídia

Fé de segunda mão


Gostou? Compartilhe!

27-paisagem

TEMPO DE REFLETIR 270 – 27 de setembro de 2014

“Se eu não vir nas suas mãos o sinal dos cravos, e ali não puser o dedo, e não puser a mão no seu lado, de modo algum acreditarei” (Jo 20:15).

Tomé teve de ver por si mesmo. Ele não estava disposto a aceitar a palavra de ninguém mais que Jesus estava vivo.

Esse tipo de dúvida pode ser criativa. Com muita frequência, nossa fé é de segunda mão, baseada em experiências de outros. Não possuímos uma fé dinâmica porque jamais experimentamos o Senhor vivo. É preciso que sejamos capazes de dizer com os samaritanos, aos quais testemunhou a mulher unto ao poço a respeito de Cristo: “Já agora não é pelo que disseste que nós cremos; mas porque nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo”.

A história de Tomé revela mais do que a luta de alguém que duvidava. Revela a batalha do amor de Cristo, que procura penetrar a barreira da resistência humana. Nessa história confronta-nos o espantoso amor de Cristo. Uma coisa é aceitar e amar um homem segundo nossos próprios padrões; algo muito diferente é estamos dispostos a amar de acordo com os padrões dEle. Tomé assentou as regras. Ele creria somente se as suas pressuposições fossem satisfeitas.

Nossa primeira reação teria sido dizer: “Escute aqui, Tomé, quem é que você pensa que é, fazendo uma exigência dessas?” Mas não foi isso o que Jesus disse. Ele deixa Tomé em paz por oito dias – dias de angústia, dúvidas e interrogações. Ao voltar, Jesus amou o discípulo deprimido o suficiente para oferecer-se sem reservas afim de que ele cresse. Ele se preocupava profundamente por Tomé. Se o tocar Suas mãos marcadas pelos cravos e pôr as mãos no Seu lado ajudasse o discípulo, Jesus estava pronto e disposto.

Tomé não se conteve. Ele sabia o quanto Jesus o amava. Sua resposta foi de amor e lealdade. Ele clamou: “Senhor meu e Deus meu!”

E você? O que é preciso para convencer-te completamente?

****************************************************************************************************************************************
-> Autoria: Lloyd Ogilvie
-> Música: Cynthia Nascimento, “Eu só preciso Crer”
-> Narração: Amilton Menezes

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook