WebRadio

Central de Mídia

Eu sou o sal da terra


Gostou? Compartilhe!

25-03 TDR 1180

TEMPO DE REFLETIR 1180 – 25 de março de 2017

“Vós sois o sal da Terra; ora, se o sal vier a ser insípido, […] para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens” (Mateus 5:13).

Uma das mais alarmantes descobertas de pesquisas recentes é que há pouca diferença entre o estilo de vida dos cristãos e dos não cristãos. Com honrosas exceções, gastamos o dinheiro da mesma forma, nós nos divorciamos com a mesma frequência e participamos da cultura, de suas aspirações e passatempos de modo muito similar. Em relação ao estilo de vida médio, o cristianismo ocidental do século 21 não se distingue de forma significativa da sociedade que o cerca.

Jesus, contudo, desafiou Seus seguidores a ser o “sal da terra”. Em Seus dias, o sal era algo extremamente valioso. Várias culturas o usavam em lugar do dinheiro. A palavra “salário” procede do latim salarium, termo relacionado à prática romana de pagar com sal os soldados.

Ao afirmar que Seus seguidores são oi “sal da terra”, Jesus utiliza uma poderosa metáfora, Ele fala não apenas do caráter, mas também das características e funções esperadas daqueles que usam Seu nome. Considere a abrangência dessa figura de linguagem. O sal dá sabor. O sal preserva. O sal traz cura. Por exemplo, muitos conhecem os benefícios de gargarejar água com sal. Além disso, o sal derrete o gelo, como utilizado nas estradas e ruas de países com invernos rigorosos. Pense em todas essas implicações para o estilo de vida cristão. E ainda mais esta: o sal dá sede!

Os cristãos são minoria. Mas Cristo os vê com extraordinário otimismo. Não há melancolia pelo fato de eles serem um número inferior. Uma “pitada” de sal é suficiente para deixar sua marca em uma quantidade muito maior de alimento. Mas Jesus adverte que, se o sal perder seu sabor, para nada mais serve senão para ser lançado fora. Então, ser diferente é o argumento central de Jesus. Ele não está Se referindo à deterioração, porque o cloreto de sódio não pode se deteriorar. O perigo é a adulteração, processo em que o sal perde sua distinção.

Quando você se torna como aqueles que estão fora de Cristo, você perdeu o valor como cristão. Por que isso é trágico? Primeiro, por ser uma traição a Cristo. Segundo, porque deixamos os não cristãos sem uma alternativa. Se alguém, fora de Cristo, não está satisfeito com o atual estilo de vida e realmente deseja mudar, mas constata que os “cristãos” são como ele, o que você julga que ele pensará?


-> Música: Hosanas, “O mundo verá Jesus em nós”
-> Locução: Amilton Menezes

Para receber pelo WhatsApp, adicione 41 99893-2056 e mande uma mensagem pedindo os áudios. Se você tem Telegram, adicione nosso canal: telegram.me/tempoderefletir – Prefira, porém, o aplicativo MANAH, onde você terá todos os áudios à disposição.

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook