WebRadio

Central de Mídia

Essa cruz era minha!


Gostou? Compartilhe!

13-Jesus_cruz

TEMPO DE REFLETIR 164 – 13 de junho de 2014

“Replicou-lhes Pilatos: Que farei então de Jesus, chamado Cristo? Seja crucificado! responderam todos” (Mateus 27:22).

Sempre quis saber o que aconteceu com Barrabás depois que foi solto. O que fez ele enquanto Jesus estava sendo crucificado? Como se sentiu ele? Sendo um revoltoso, ele havia sido condenado à crucificação. A ambigüidade de Pilatos e a manipulação das multidões pelos principais sacerdotes e anciãos, garantiram a liberdade para Barrabás.  Mas que tipo de liberdade pode a pessoa ter quando sabe que alguém mais recebeu a sua sentença? Imagine o que Barrabás teria feito com essa percepção espantosa. É possível, até que ele tivesse tentado afogar o pensamento na bebida, procurando esquecer.

Por acaso Barrabás se encontrou com Jesus? Não o sabemos. Alguns sugerem que Jesus foi colocado na mesma prisão de Barrabás enquanto Pilatos decidia o que fazer para sair-se do dilema que os dirigentes de Israel lhe haviam apresentado. O que sabemos, porém, é que Barrabás e Jesus amavam a Israel e queriam dar liberdade ao povo. Mas o patriotismo deles se expressava de maneiras bem diferentes: Barrabás queria um reino livre de Roma; Jesus queria um reino de Deus, livre do pecado. Um pedia o poder militar, o outro exigia arrependimento e retidão.

Com os olhos da mente posso ver o pânico refletido no rosto de Barrabás quando os terremotos sacudiram Jerusalém e partiram o véu do templo. Encaminhou-se ele tropeçando em direção ao Gólgota? Se o fez, teve de olhar no rosto do Salvador. Posso ouvi-lo gritar a confissão angustiada: “Ó Deus, essa cruz era minha! E Ele a levou por mim!”

A cruz é um sacrifício substitutivo. Cristo morreu por nossos pecados, em nosso lugar, levando sobre si a nossa culpa. Mas, em vez de remorso, como o de Barrabás, estamos cheios de gratidão, louvor e amor.

Agradeça a Deus por esse tão grande sacrifício, aceite essa salvação gratuita que Ele oferece e não esqueça: Jesus deu a vida, morreu a morte eterna em teu e meu lugar. A cruz não era dEle. Era de Barrabás, era sua, era minha…

*****************************************************************************************************************************************
-> Autoria: Autoria desconhecida
-> Música: Grupo Ângeluz, “Minha cruz levou”
-> Narração: Amilton Menezes

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook