WebRadio Maranatha

Diante do tribunal


Gostou? Compartilhe!

ENCONTRO COM AS PROFECIAS 197

A profecia de hoje está na segunda carta de Paulo aos Coríntios 5:10 – “Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo”.

Antes de analisar a profecia e quando ela será cumprida, quero ajudá-lo a entender a razão que levou Paulo a usar este tipo de linguagem forense. “O uso que Paulo faz do termo, provavelmente se deveu ao conhecimento que ele tinha do fato de que seus leitores, familiarizados  com os tribunais romanos, compreenderiam instantaneamente algo da solenidade em questão; pois enfrentar um juiz humano é uma coisa e enfrentar o juiz de toda a humanidade é outra coisa inteiramente diferente” (O Novo Testamento Interpretado, vol. 4, pg. 342).

Paulo profetiza que todos terão que comparecer perante o tribunal de Cristo. Para ele isto era uma coisa muito séria. E que gerava preocupação, como escreveu no verso anterior: “É por isso que também nos esforçamos, quer presentes, quer ausentes, para lhe sermos agradáveis” (II Coríntios 5:9).

Por que há a necessidade de um juízo?  “O juízo final é necessário para defender e justificar o caráter e a justiça de Deus” (S.D.A.B.C., vol.6, pg.861).

O rei Davi, quando cometeu adultério com Bete Seba, após reconhecer o seu pecado, declarou: “Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira que será tido por justo no teu falar e puro no teu julgar” (Salmo 51:4).

Davi reconhecia que o julgamento de Deus seria justo. Não haveria falhas nesse juízo. O justo seria declarado justo e o injusto, condenado. Bem diferente da justiça humana que, por ser comandada por homens falhos, não é perfeita.

Chegará o dia quando as injustiças atuais serão eliminadas. Portanto, o juízo é necessário para que Cristo possa consumar a vitória sobre o pai das injustiças e das mentiras, Satanás.

Deus hoje é acusado de ser responsável por muita coisa errada em nosso mundo. No juízo, o Universo inteiro, vai saber quem é o verdadeiro culpado pelas guerras, furacões, assassinatos, e todo o tipo de maldade.

Assim, o juízo serve também para defender e justificar o caráter de Deus. No juízo, todo o Universo vai compreender que Deus foi, é e sempre será justo.

E como será esse juízo ou julgamento? A Bíblia afirma que Deus tem um dia para o juízo. “Porque estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio de um varão que destinou e acreditou diante de todos, ressuscitando-o dentre os mortos” (Atos 17:31). Neste dia todas as nossas ações serão julgadas, até as praticadas na noite mais escura ou no quarto mais escuro. “Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão mais escondidas, quer sejam boas, quer sejam más” (Eclesiastes 12:14).

Jesus será o Juiz.  “E o Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou todo o julgamento” (João 5:22).

Haverá um grande trono, onde o Juiz julgará o mundo. “Vi um grande trono branco e aquele que nele se assenta, de cuja presença fugiram a terra e o céu, e não se achou lugar para eles”. (Apocalipse 20:11).

Tudo será avaliado. “Vi também os mortos, os grandes e pequenos, postos em pé diante do trono. Então, se abriu os livros. Ainda outro livro, o livro da vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros” (Apocalipse 20:12).

Tiago 2:12 diz que a base do julgamento de Deus é a lei que Ele criou, ou seja, os dez mandamentos: “Falai de tal maneira e de tal maneira procedei como aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade”.

Quando Jesus retornar segunda vez mais uma etapa do julgamento divino será cumprida. Levará os justos com Ele para um período de mil anos no céu. Depois, regressará com os salvos de todas as épocas para o encerramento ou a execução da pena aos que optaram por recusar o convite de salvação, conforme Apocalipse 20.

Amigo ouvinte, preste bem atenção no que vou dizer agora. Hoje Cristo é o nosso advogado diante de Deus, o Pai. No juízo final, porém, será o Juiz. Não será mais oferecido o serviço de intercessão ou de mediação. Não teremos mais Cristo para interceder pelos pecadores, nem uma nova oportunidade de salvação.

Hoje é o dia da decisão e da mudança. Hoje é o dia de uma avaliação particular, sincera. Hoje é o dia de abandonar definitivamente o pecado. Hoje é o dia de aceitar a Jesus como Salvador e Senhor de sua vida. Hoje é o dia de começar ou ser um verdadeiro cristão.

Aqueles que aceitam a Cristo e vivem uma vida de amor a Jesus, no juízo, estarão protegidos sob o manto da justiça dEle. O apóstolo João assim escreveu: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça” (I João 1:9).

Creia em Deus para estar seguro. Creia nos profetas dEle para prosperar.

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook

WebRadio Maranatha