WebRadio

Central de Mídia - WebRádio Maranatha

Como Deus vê nossas dúvidas


Gostou? Compartilhe!

TEMPO DE REFLETIR 1474 – 13 de janeiro de 2018

“Jesus disse a Tomé: ‘Coloque seu dedo aqui; veja as Minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no Meu lado. Pare de duvidar e creia’” (João 20:27).

“Preciso ver para crer!” “Só acredito se tocar!” Conhecemos essas pessoas que antes de acreditar querem provas para tudo. São vistas como contestadoras pelo fato de pensar de modo diferente ou discordar do grupo.

Muitos acreditam que o oposto da fé seja a dúvida. Mas a dúvida nos ajuda a procurar respostas a fim de esclarecer o que cremos. Ela nos empurra para pesquisar e investigar a verdade. Ian Judson diz: “Dúvida é uma pergunta sincera. Descrença é não querer ouvir a resposta”.

Tomé não era incrédulo nem racionalista. Era um discípulo sincero com intensa afeição por Jesus. No primeiro aparecimento de Cristo depois da ressurreição, Tomé esteve ausente e os outros discípulos disseram para ele: “Vimos o Senhor!” (v. 25). Ele se ressentiu porque Jesus aparecera aos outros e não para ele. “Como é que Ele não apareceu para mim? Ele não podia ter me deixado de fora!”

Quando o grupo dos dez discípulos tentou convencer o amigo resistente, ele mesmo disse: “Está bem, vamos terminar a discussão. Mas vou estabelecer uma condição: se eu não vir as marcas dos pregos nas mãos dEle, não colocar o meu dedo onde estavam os pregos e não puser a minha mão no lado dEle, não crerei” (cf. Jo 20:25). Ele se achava no direito de duvidar do que os discípulos diziam, e até mesmo se sentia orgulhoso disso.

Uma semana depois, Jesus Se encontrou com o grupo de discípulos, mais especificamente por causa de Tomé, que estava com a fé abalada.

Muitas vezes, surgem no coração impulsos que se levantam, pedindo-nos para ir ao encontro de alguém. Sabemos que essa pessoa precisa de uma palavra de apoio, de minutos da presença de amigos junto a si. Assim, Jesus, mesmo com a agenda cheia, sabia dar prioridade às pessoas. Era o encontro em que ninguém podia substituí-Lo.

Jesus foi ao encontro de Tomé. Não o censurou. Não o retirou do grupo para lhe fazer uma reprimenda por causa das dúvidas, mas restaurou gentilmente a fé do discípulo. Pediu que ele se aproximasse. “Coloque o seu dedo aqui; […] estenda a mão […] pare de duvidar e creia” (v. 27).

“[Tomé] reconheceu como seu Senhor Aquele que Se achava diante dele. Não desejou mais provas. O coração saltou de alegria, e lançou-se aos pés de Jesus, exclamando: Senhor meu, e Deus meu!’ (Jo 20:28)” (O Desejado de Todas as Nações, p. 807).


-> Música: Novo Tom, ”Como duvidar”
-> Locução: Amilton Menezes


Saiba como receber as mensagens diárias do Tempo de Refletir:

-> No celular, instale o aplicativo MANAH (Android e iOS).

-> Para ver/ouvir no YouTube, inscreva-se neste Canal: YouTube.Com/AmiltonMenezes7

-> Para receber pelo WhatsApp, adicione 41 9507 0705 e mande um recadinho pedindo os áudios.

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook