WebRadio

Central de Mídia

Amor inquebrantável


Gostou? Compartilhe!

28-coracao

TEMPO DE REFLETIR 301 – 28 de outubro de 2014

“Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lc 23:34)

Por quem Jesus fez essa oração? A quem levava ele em seu coração? Certamente os soldados que executaram a Cristo na cruz não sabiam o que estavam fazendo. Esta não passava de uma das centenas de crucificações daquele ano! Eles não compreendiam que estavam pregando o corpo do Filho de Deus naquela cruz. Estavam participando do sacrifício universal pelos pecados do mundo todo. Se soubessem quem se encontrava naquela cruz, teriam tremido e fugido apavorados.

Que dizer de Pilatos e dos dirigentes judaicos? Sabiam eles o que estavam fazendo? Pilatos desconfiava. Sua mulher parecia saber, e tinha medo. Seria a ignorância uma boa desculpa para os guias de Israel? Se cressem realmente que Jesus era o verdadeiro Filho de Deus, que teriam feito? Ah, aí está a questão. Teriam de renunciar a seu orgulho e segui-Lo.

Estava Jesus orando por seus discípulos e seguidores? Alguns haviam fugido. Judas o traiu; Pedro o negou. Os outros nada podiam fazer por causa do seu excruciante pesar. Não haviam eles ouvido Jesus falar do propósito de sua morte? Pensavam eles que o fim havia chegado?

Jesus orou por todas as pessoas. Não temos desculpas. Sabemos quem Ele é e o que fez por nós, e ainda o crucificamos de novo muitas vezes todos os dias. Ele faz essa oração pedindo perdão em todas as circunstâncias, mesmo quando sabemos muito bem o que estamos fazendo. Quando essa tremenda verdade nos apanha, tem cura a causa do motivo por que fazemos coisas que frustram seu propósito. O conhecimento do perdão, antes mesmo de o pedirmos, liberta-nos da necessidade de executar a coisa mesma para a qual precisaremos de perdão.

Reflita sobre isso no dia de hoje.

****************************************************************************************************************************************
-> Autoria: Lloyd Ogilvie
-> Música: Eliel, “Inexplicável perdão”
-> Narração: Amilton Menezes

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook