WebRadio

Central de Mídia

A voz no deserto


Gostou? Compartilhe!

ENCONTRO COM AS PROFECIAS 177

Vamos para mais uma profecia da Bíblia? Ela foi feita por Isaías e confirmada por João Batista. Está em João 1:23 –  “Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías”.

Para uma melhor compreensão deste assunto, vamos voltar um pouco no tempo e conhecer o que aconteceu antes de João fazer esta declaração.

João Batista nasceu em condições muito especiais. Os pais dele já eram velhos e não tinham filhos pois a mãe, Isabel, era estéril. Apareceu, porém, um anjo e anunciou a Zacarias que ele seria pai e que Isabel, mesmo na velhice, geraria um filho.
A notícia foi tão boa que Zacarias não acreditou. Para que ele compreendesse que não era uma brincadeira, pois quem havia mandado dar esta notícia é Um que não pode errar, Zacarias ficaria mudo. A partir daí, até o nascimento do menino, ele não falou mais (Lucas 1:5-20).

Você já parou para imaginar a alegria dessa mãe? Por muitos anos queria embalar em seus braços um filho, porém isso não fora possível. Tinha que se contentar em segurar nos braços os filhos de suas amigas e familiares.

Agora ela sonhava com o dia que poderia amamentar e embalar o seu próprio filho. Zacarias contemplava todos os movimentos, mas não podia dizer nada, porque estava mudo.

Após alguns meses o menino nasceu e com oito dias tinham que circuncidar a criança e dar-lhe um nome. Os amigos e parentes queriam dar o nome do pai, mas a mãe insistia que deveria ser “João”. Foi então que Zacarias pediu uma tabuinha e escreveu que o nome do menino deveria ser João. Quando fez isto, a voz voltou para Zacarias (Lucas 1:57-66).

O menino cresceu como normalmente crescem todos os meninos, mas um dia a missão para qual ele viera a existência o chamou de forma distinta e clara. João foi para o deserto e começou a pregar uma mensagem muito forte. Seus sermões comoviam os habitantes da Judéia. E a fama foi ainda mais longe, chegou à sede da religião em Israel, no magnífico templo em Jerusalém.

Uma comitiva de estudiosos e líderes vai, então, até João. Encontram um homem vestido de pele de camelo, com um cinto de couro em torno dos lombos (Mateus 3:4). João é então interrogado. O evangelista João (que não é a mesma pessoa) conta que eles perguntaram: “Quem és tu?” (1:9).

A resposta veio com naturalidade. “Eu não sou o Cristo”. Isso surpreendeu e decepcionou aquela comitiva. João disse o que eles não esperavam ouvir. Revela, então, que ele é a voz que clama no deserto. Explica que ele é o cumprimento da profecia de Isaías (40:3). Assume para si a responsabilidade de anunciar e preparar o caminho para o Messias.

O que João queria dizer com ser a voz do deserto? “Ele era tão somente uma voz, mas que voz! Seu eco continua sendo ouvido através dos séculos. Como profeta, João foi a voz de Deus, para as pessoas do seu tempo, porque um profeta é o porta voz  de Deus” (S.D.A.B.C. vol.5 pg.288).

Quando João diz que estava preparando o caminho, ele estava usando uma expressão muito comum naqueles dias. “Quando um monarca do antigo Oriente decidia visitar certas partes do seu reino, despachava mensageiros a cada distrito que seriam visitados para que anunciassem com antecipação sua visita e preparar os seus habitantes para a sua chegada. Os habitantes de cada cidade ou vila deviam preparar o caminho por onde o rei iria passar, porque esses caminhos estavam bastante abandonados. Em alguns lugares se retirava pedras do caminho que os agricultores tiravam de suas terras” (idem, p. 288 e 289).

Perceba que João, ao mesmo tempo que cumpria a profecia feita por Isaías, fazia a uma profecia a seu próprio respeito. Ele assumiu para si a responsabilidade. Eu sou a voz… eu sou o que prepara o caminho para o rei. Eu sou o servo que vai adiante do rei e arruma as acomodações, que tapa os buracos da estrada, que endireita os caminhos.

João não queria o papel principal. Ele estava feliz com a tarefa que Deus lhe havia dado. João sabia com muita clareza qual era a missão dele aqui nesta terra. Sabia, com muita precisão, o que ele era e o que ele não era. Ele não era o Messias. Era apenas a voz que clamava no deserto e o que devia preparar o caminho para a pessoa mais importante que em breve iria chegar.

Amigo ouvinte, feliz é o homem que tem coragem para aceitar e desempenhar com alegria o papel que Deus lhe concedeu. Feliz é o homem que sabe com muita clareza o que ele é e o que ele não é. Feliz é o homem que durante a vida, assume com muita ousadia a sua parte no grande plano de Deus, sem estar preocupado com outras coisas.

Em nossos dias encontramos muitas pessoas, que sabem o que devem ser e fazer, mas não fazem, porque acham que isso vai lhes trazer prejuízos ou vai dar um pouco mais de trabalho.  João, não estava preocupado com o que iriam pensar a respeito dele. Apenas estava ocupado em cumprir o que Deus tinha estabelecido para ele.

E você que me ouve, qual é a sua postura diante do que Deus tem dito? Você sabe com clareza, qual é a sua missão aqui nesta terra? Você sabe o que você é e o que não é?

O meu desejo é que você seja a voz de Deus onde estiver, onde mora, onde estuda, onde brinca ou em qualquer outro lugar, e que prepare o caminho para o retorno de Jesus a esta terra.

Faça isso e creia no Senhor Deus para estar seguro. Creia nos profetas dEle e você prosperará.

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook