WebRadio

Central de Mídia

A terceira trombeta


Gostou? Compartilhe!

ENCONTRO COM AS PROFECIAS 232

Hoje vamos estudar a terceira das sete trombetas do Apocalipse. As trombetas são juízos de Deus sobre um poder que escravizava e matava os cristãos. Este poder ao longo de sua atuação sofreu vários golpes, mesmo que a maioria das pessoas e alguns líderes tenham imaginado que fosse apenas uma ação natural de quem deseja tomar o poder.

Esta profecia foi feita por João, quando estava preso na ilha de Patmos, por causa da Palavra de Deus.  Todo aquele que deseja estudar o livro da Apocalipse precisa entender que o tema básico do livro é a segunda volta de Cristo a esta terra e o desfecho do grande conflito entre o bem e o mal. Ao estudar o Apocalipse, o sentimento de vitória do bem sobre o mal, não é apenas um sonho, e sim uma doce realidade. O bem vai vencer. É só uma questão de tempo!

A profecia da terceira trombeta apresenta o seguinte quadro: “E o terceiro anjo tocou a sua trombeta, e caiu do céu uma estrela, ardendo como uma tocha, e caiu sobre a terça parte dos rios, e sobre as fontes das águas. E o nome da estrela era absinto, e muitos homens morreram das águas, porque se tornaram amargas” (Apocalipse 8:10-11).

O apóstolo João viu uma ação divina contra Roma Ocidental. O império romano já estava enfraquecido por ataques já sofridos (primeira e segunda trombetas) e, na visão divina, havia ainda mais uma grande calamidade para suportar.

A profecia diz que uma estrela do céu, ardendo como uma tocha, cairia sobre a terça parte dos rios e das fontes das águas.

Na visão de Deus, um poderoso líder surgiria para cumprir o Seu plano. Ele atingiria os rios e as fontes das águas. As expressões “rios” e “fontes de águas” significam povos, nações, pessoas (Ezequiel 47:9-10; Habacuque 1:14; Apocalipse 17:15).

A história confirma que o império romano foi atacado pela terceira vez. Agora por Átila, rei dos  hunos. Esse ataque começou pelas regiões de rios e lagos do império. Portanto, a expressão “rios e fontes de água”, também é uma referência a determinados lugares geográficos, abundantes em água, como os rios Danúbio e Reno, além da região dos Alpes (A verdade sobre as Profecias do Apocalipse, 2ª. Ed. pg.135).

Creio que você esteja querendo saber porque o apóstolo João comparou a terceira trombeta a uma grande estrela. Uma estrela cadente se caracteriza por grande luminosidade, porém, com pouca duração. Ao entrar em contato com a atmosfera terrestre sua luminosidade dura uns poucos segundos.

A ação de Átila, rei dos Hunos, foi semelhante a uma estrela cadente. Foi forte, mas durou pouco tempo. “A grande estrela, da terceira trombeta, é aceito como uma descrição das invasões e saques realizados pelos Hunos, sob a liderança de Átila, no século V. Os Hunos penetraram na Europa desde a Ásia central, em torno do ano 372 d.C., e se estabeleceram ao longo do rio Danúbio. Setenta e cinco anos mais tarde, os Hunos atacaram outras regiões decadentes do velho império romano. Cruzaram o rio Reno no ano 451 d.C., mas foram detidos por soldados romanos e alemães” (C.B.A.S.D. vol.7 pg.805).

“Átila, foi a grande estrela, a tocha ardente, o amargo absinto, que desabou como um furacão destruidor sobre o Ocidente romano e como um terrível flagelo, um inexorável juízo do céu contra um império impiedoso e cruel. Átila, a personificação do deus da guerra, insaciavelmente derramou muito sangue na terça parte dos rios e das fontes das águas do império do ocidente; causou destruição em grande escala. A miséria da qual foi instrumento e o terror que inspirou o seu nome como chefe de seus terríveis Hunos, não teve paralelo até agora na história da guerra e das conquistas. Considerava-se consagrado a Marte, deus da guerra. A sua vida, em verdade, era a guerra, e dizia ele: A estrela cai, a terra treme, sou o martelo do universo, onde o meu cavalo assenta as patas, a relva jamais torna a crescer.

A maior batalha travada por Átila foi a que enfrentou númera hoste de inimigos coligados. Cento e cinqüenta mil soldados foram mortos a margem do rio Marne. Os demais inimigos se renderam. Na primavera do ano seguinte, Átila se organizou para uma nova invasão, tendo desta vez chegado às portas de Roma. O papa intercedeu junto a ele para que poupasse a cidade, prometendo-lhe grandes riquezas” (A verdade sobre as Profecias do Apocalipse, 2ª. Ed. Pg.136).

Após Átila conseguido saquear a sede do poder Ocidental, se retirou para a sua cidade e ali morreu. Isso aconteceu no ano 453 d.C. Depois disso, os Hunos quase imediatamente desapareceram da história.

Alguns pontos para refletirmos nesse momento.

O primeiro ponto que salta aos olhos de quem estuda as profecias é que Deus está no controle deste mundo. Ele, no devido tempo, levanta e depõe líderes. Átila cumpriu a profecia.

Em segundo lugar, todo aquele que oprime e persegue um filho de Deus está atingindo o próprio Senhor. Na hora certeza o Criador dará a recompensa pelos atos praticados, sejam eles quais forem. E, em terceiro lugar, Deus sempre avisa antes. Os juízos que alcançaram o império romano foram profetizados com bastante antecedência. Deus não tolera o pecado.

Amigo ouvinte, creia no Senhor Deus para ficar seguro. Creia nos profetas dEle para prosperar.

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook