WebRadio

Central de Mídia - WebRádio Maranatha

A sexta trombeta


Gostou? Compartilhe!

ENCONTRO COM AS PROFECIAS 236

Hoje mais um programa sobre as trombetas do Apocalipse. Elas cobrem todo o período da história da igreja cristã e é a resposta parcial de Deus às nações que O afrontaram e maltrataram os cristãos sinceros. Ao longo de toda a história, Deus sempre esteve mostrando a Sua indignação contra o erro.

Também é importante lembrar aqui que o profeta começou a descrever o sétimo selo e parou e para relacionar as sete trombetas. Ele fez isto, porque no sétimo selo, Jesus está voltando pela segunda vez a esta Terra, e vem para salvar um grupo e dar o castigo a outro.

Hoje vamos conhecer a profecia que contem a sexta trombeta. Apocalipse 9:14 e 15 – “A qual dizia ao sexto anjo, que tinha a trombeta: Solta os quatro anjos, que estão presos junto ao grande rio Eufrates. E foram soltos os quatro anjos, que estavam preparados para a hora, e dia, e mês e ano, a fim de matarem a terça parte dos homens”.

Em 27 de julho de 1449, quando o império romano oriental começou a ser conquistado pelos povos árabes, os cristãos nominais, ou cristãos apostatados, foram severamente humilhados e torturados, mas não mortos.  A profecia na sexta trombeta diz que agora quatro anjos seriam soltos e estavam preparados para hora, dia, mês e ano, a fim de matar a terça parte dos homens.

Precisamos definir algumas coisas: Quem são os quatro anjos que foram soltos?  Que significa a expressão hora, dia, mês e ano? O que vem a ser esta terça parte que deveria ser morta?

Em 1449 terminou o período de tormento e começou uma fase onde a morte já estava anunciada. Estes anjos seriam os responsáveis pelas mortes que se seguiam. Os teólogos acreditam que estes anjos foram os quatros lideres turcos que integravam o Império Otomano. O império turco estava coligado com os árabes na missão de tomar a cidade de Constantinopla.

Estes quatro líderes  turcos estavam sob o comando do Império Otomano, porém, nessa altura da história, deveriam ser soltos para “matar uma terça parte dos homens”.

E foi o que aconteceu. “Os turcos aliados dos árabes, desencadearam  a conquista absoluta do que restava do império romano, ao invadir a sede oriental até fazer com que Constantinopla se rendesse em 1453” (Daniel e Apocalipse, Vilmar Gonzalez, 3ª. Ed.1998, p.197)

Portanto, os quatro anjos que foram soltos para matar, significa o ataque sem piedade dos soldados turcos e árabes sobre a sede do império romano no Oriente.  A história descreve a queda de Constantinopla desta forma: “Tinha Maomé sob as suas ordens 250 mil homens. No dia 5 de abril de 1453, fez ele armar a sua tenda de campanha defronte à porta principal da praça… No mesmo instante, começaram a troar 130 canhões. Neste tempo a pólvora tinha acabada de ser descoberta, e os canhões representam os cavalos que da sua boca saia fogo, fumaça e enxofre (Apocalipse 9:17-19)”.

No dia 28 de maio, ao por do sol, notou-se um grande movimento de tropas turcas em volta da praça. Dentro, acompanhados dos grandes da corte, dirigiu-se o imperador para a Igreja de Santa Sofia; e ali comungaram todos, enquanto a multidão chorava. Em seguida o príncipe montou a cavalo, e percorreu todos os postos de defesa. Ninguém dormiu naquela noite, nem nas trincheiras, nem nas torres e nas portas.

Ao alvorecer do dia 29 de maio, na porta de São Romão, que era o posto mais perigoso, o imperador esperava o inimigo. A luta durou muitas horas; até que por outra porta, do lado norte, penetram os turcos como torrentes. Era 29 de maio de 1453” (idem).

Ao tomar o poder em Constantinopla, muita gente morreu. O juízo divino alcançava uma parte específica do planeta. Um terço devia morrer. E isso os soldados turcos e árabes realizaram na queda do império romano oriental.

Um outro sentido da morte na profecia, é a morte política. A Turquia não apenas extinguiu o que restava do Império romano no oriente, como mais tarde anexou a seu território o Egito, Etiópia e a Lídia.

Mas quanto tempo à Turquia teria a supremacia no mundo político e militar? A profecia diz que hora, dia, mês, e ano. Em profecia cada dia equivale a um ano (Ezequiel 4:6;  Números 4:34). Vamos, com esta regra, entender quanto tempo isso significa.
Hora = 1 hora = 15 dias
Dia = 1 dia = 1 ano
Mês = 30 dias = 30 anos
Ano = 360 dias = 360 anos

Portanto, somando tudo, o império otomano, liderado pelos exércitos turcos e árabes, teria a supremacia de 391 anos e quinze dias, e neste período eles iriam matar a terça parte dos homens. No período que os turcos estiveram no poder, mais de 130 mil cristãos apostatados foram mortos. A supremacia otomana teve o seu inicio no dia 27 de julho de 1449, quando se iniciou a conquista do império romano do oriente e terminou com o declínio do império otomano, no dia 11 de agosto de 1840.

A sexta trombeta estava cumprida.

Creia em Deus para ficar seguro. Creia nos profetas dEle para prosperar.

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook