WebRadio

Central de Mídia - WebRádio Maranatha

A quinta trombeta – II


Gostou? Compartilhe!

ENCONTRO COM AS PROFECIAS 235

No programa anterior vimos que ao ser tocada a quinta trombeta, uma estrela caiu na terra e ao abrir um poço, saiu uma fumaça que escureceu o sol e poluiu o ar. Entendemos que esse grande acontecimento sacudiu o mundo oriental com Maomé, assumindo a liderança política e religiosa do povo árabe.

Antes disso, não havia um governo central. As inúmeras tribos viviam de forma independente e um tanto caótica. E Maomé, que nasceu em 622 DC, surgiu do meio desse abismo, desse caos político e impôs-se gradativamente até formar um governo de coalizão. Auto proclamado “profeta de Alá”, Maomé determinou as regras religiosas, através do Alcorão.

O grande sonho de Maomé era transformar a Arábia na capital do mundo e declarar a todos que só Alá é Deus e Maomé é o seu profeta.

O texto profético diz que dessa situação sairia um grande exército, como gafanhotos, propagando esses ensinamentos. É interessante que a Arábia é comparada a gafanhotos também em Juízes 6:3 e 5 – “Porque sucedia que, semeando Israel, subiram os midianitas e os amalequitas; e também os do oriente contra ela subiram. Porque subiam com os seus gados e tendas; vinham como gafanhotos, em tanta multidão que não se podiam contar, nem a eles nem aos seus camelos; e entravam na terra para destruir”.

O texto profético vai mais longe dizendo que eles não deviam atacar as árvores frutíferas.  Maomé cumpriu exatamente isso ao ordenar: “Não destruais as palmeiras, nem queimeis os campos de cereais. Não derribeis nenhuma arvore frutífera” (A verdade sobre o Apocalipse, 2ª. Ed. 1982 p.143).

Lendo o começo do capítulo nove, você percebe que o ataque seria direcionado “aos homens que não têm o selo de Deus sobre a fronte” (9:4). E qual é o sinal de Deus que é colocado simbolicamente na testa? A Bíblia é clara ao dizer qual é o sinal de Deus que, simbolicamente, está na testa, ou na mente do ser humano. Ezequiel 20:12 – “E também lhes dei os meus sábados, para que servissem de sinal entre mim e eles; para que soubessem que Eu sou o Senhor que os santifica”.

Na profecia, apenas este grupo de pessoas devia ser respeitado, ou seja, os que tem o sinal de Deus em suas testas. A Bíblia diz, como já vimos, que este sinal é a santificação do dia de sábado como o dia de descanso e de adoração a Deus.

O curioso é que o cristianismo apostatado, que não tem esse selo de Deus, foi durante muitos anos atormentado, castigado pelos exércitos de Maomé. Fato semelhante nós encontramos nos dias do povo de Israel. Os juízos divinos vinham a eles quando negligenciavam as leis de Deus, da mesma forma, os cristãos apostatados estavam sendo punidos com a ação de mais um guerreiro descrente.

O tormento, segundo o verso 5, duraria cinco meses. Como em profecia um dia equivale a um ano, foram, então, 150 dias/anos. Exatamente 150 anos foi o tempo em que os cristãos nominais ou apostatados foram torturados e não mortos pelo império turco, seguidor dos ensinos de Maomé.

O objetivo de tudo isso era tomar Constantinopla, sede do império romano do oriente. E não estava fácil. Os historiadores dizem que “quando os turcos vindos da Ásia Central aceitaram o islamismo e se uniram aos árabes na guerra contra Roma, no Oriente, então tudo mudou e começou a partir daí o período de tormento por cinco meses ou 150 anos. … O tormento para os cristãos apostatados que estavam dentro de Constantinopla começou no dia 27 de julho de 1299 e foi até 27 de julho de 1449 (idem).

O império Turco tornou-se o maior flagelo para os cristãos que estavam no Oriente. Após Constantinopla ser invadida pelos turcos convertidos ao islamismo, os habitantes do lugar enfrentaram o pior tormento já experimentado por cristãos que não tinham o sinal de Deus em suas testas.

Constantinopla havia vivido uma vida de desprezo a Deus e de perseguição aos que faziam da Bíblia sua regra de vida. A partir daí, Roma oriental foi humilhada pelos turcos e árabes. A humilhação foi tanta a ponto de quererem morrer e nem isso lhes era permitido. Eram torturados ao extremo, porém, não os matavam. A profecia se confirmava: “o seu tormento era como tormento de escorpião quando fere alguém” (verso 5).

Era o cumprimento irreversível da quinta trombeta. Uma comunidade, que se dizia cristã, penava nas mãos dos invasores porque não tinha o selo de Deus.

Amigo ouvinte, a religião de aparência nunca rendeu bons frutos. Cristianismo de fachada, baseado em tradições e teorias humanas, não dá certo. Um dia, a casa cai! Como caiu o império romano do ocidente, caiu o do oriente e os falsos cristãos pagaram um preço bastante alto.

Deus não está dormindo e nem está morto. Deus está vivo e atento às coisas que estão acontecendo no planeta Terra. E no tempo certo Ele virá para colocar um fim nesse sistema opressivo e corrupto que domina amplamente o nosso planeta.

O acerto de contas não será com um país ou continente. Tampouco com esta ou aquela religião. O ajuste será com todos, indistintamente. Estamos preparados? Temos o sinal de Deus na mente e no coração?

Creia no Senhor Deus para ficar seguro. Creia nos profetas dEle para prosperar.

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook