WebRadio

Central de Mídia

A fraqueza de Deus (I)


Gostou? Compartilhe!

25-02 TDR 1152

TEMPO DE REFLETIR 1152 – 25 de fevereiro de 2017

“Então disse: Não se chamará mais o teu nome Jacó, mas Israel, pois, como príncipe, lutaste com Deus e com os homens e prevaleceste. […] E abençoou-o ali (Gênesis 32:28,29).

Lutero observou que nós usamos máscaras para nos esconder, Deus as usa para Se revelar. Aqui temos um exemplo. O visitante noturno era o próprio Deus disfarçado. Ao perceber isso e clamar pela bênção divina, Jacó estava dizendo: “Aqui está a afirmação do que busquei durante toda a minha vida. Eu a procurei na aprovação do meu pai. Busquei-a na beleza de Raquel. Mas é em Ti que ela se encontra. Assim, não posso Te deixar ir sem que me abençoes”. Sem isso, Jacó sabe por experiência, a vida não faz sentido. E, diz o texto, Deus, “abençoou-o ali”. A bênção nas Escrituras é sempre algo verbal. Deus deve ter dito alguma coisa ao coração de Jacó. O que teria sido? Talvez algo como a voz de bênção falada do Céu sobre o futuro grande descendente de Jacó: “Este é o Meu filho amado, em quem Me comprazo” (Mt 3:17). Não sabemos as palavras exatas, mas não há nada maior do que a bênção de Deus.

Jacó se afastou como alguém que havia experimentado o evangelho. Aleijado, mas permanentemente satisfeito. Humilhado, mas triunfante. Assim, Jacó saiu vitorioso. Finalmente recebeu a bênção que por tanto tempo desejara em sua vida. Depois disso, seus problemas se tornaram insignificantes. Esaú já não era razão de medo. A bênção divina havia corrigido sua miopia espiritual.

O leitor moderno da biografia de Jacó pode ficar perplexo nesse ponto. Em nenhum episódio de sua vida, ele se saíra como herói. Nunca foi um modelo de virtude. Ao contrário, ele muitas vezes agiu de modo tolo, sendo enganador, incorreto. Ele certamente não merecia a bênção de Deus. Se Deus é santo e justo, por que Ele foi tão gracioso? Por que Ele “simulou” fraqueza e poupou a vida de Jacó, oferecendo indícios de quem Ele é? A resposta viria mais tarde nas Escrituras, quando Jesus Cristo, na noite do Calvário, apareceu como um Homem. Como na noite do Jaboque, Ele se tornou fraco para nos preservar.

Você já ouviu, no fundo de sua alma, as palavras de bênção: “Este é o Meu filho amado, em quem Me comprazo?” Em Cristo, isso nos foi assegurado como inesgotável fonte de alegria e força. Esse é o único remédio contra nossas idolatrias, porque torna os ídolos desnecessários.


-> Música: Rafaela Pinho, “Máscaras”
-> Locução: Amilton Menezes

Para receber pelo WhatsApp, adicione 41 99893-2056 e mande uma mensagem pedindo os áudios. Se você tem Telegram, adicione nosso canal: telegram.me/tempoderefletir

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook