WebRadio

Central de Mídia

A esperança que não decepciona


Gostou? Compartilhe!

TEMPO DE REFLETIR 2233 – 11 de fevereiro de 2020

Hebreus 10:37: Em breve, muito em breve “Aquele que vem virá, e não demorará”.

No início da primeira semana de janeiro de 2006, os jornais dos Estados Unidos deram a notícia de que treze mineiros haviam sido soterrados em uma mina de carvão no estado da Virgínia Ocidental. No entanto, quando os norte-americanos acordaram na quinta-feira, dia 5 de janeiro, viram estampado nas manchetes dos principais jornais: “Eles vivem”; “Vivos – Mineiros vencem a adversidade”; “Doze mineiros achados vivos quarenta e duas horas depois da explosão.”

Os sinos da igreja próxima da mina, onde os familiares dos mineiros soterrados estavam reunidos, começaram a soar pouco antes da meia-noite, quando a CNN anunciou que doze homens tinham sido encontrados vivos. Familiares e amigos das vítimas em vigília na Igreja Batista local gritaram: “É um milagre! Eles estão vivos!”

Momentos depois, a direção da empresa proprietária da mina disse que havia ocorrido um problema de comunicação e a mensagem não tinha sido enviada corretamente. Houve caos e revolta entre os familiares. “Foi um milagre que nos roubaram”, diziam eles. Anne Meredith, cujo pai morreu no acidente, disse: “Senti que fomos enganados o tempo inteiro.” Durante mais de um dia, aquelas pessoas mantiveram e alimentaram a esperança, e se decepcionaram.

Uma das definições de esperança é: “Desejo acompanhado de uma expectativa; desejo cujo cumprimento é acariciado; confiança em se conseguir o que deseja.”

Quantas esperanças alimentamos como seres humanos: passar no vestibular; que nosso time vença; passar no concurso público; a descoberta para a cura de alguma doença; ganhar medalha de ouro; que amanhã as coisas irão melhorar.

A esperança aparece acenando e trazendo ideias à mente: a semente, o botão para desabrochar, crianças, o sol nascendo. É um chamariz do futuro.

Ela também é um dos componentes mais importantes da fé cristã, e é mencionada aproximadamente 180 vezes na Bíblia. E o povo de Deus desenvolveu, através do tempo, a esperança do advento, um desejo de se encontrar com seu Deus no futuro. Paulo se refere a ela como a “bendita esperança” (Tt 2:13).

“E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou Seu amor em nossos corações” (Rm 5:5). “Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois Aquele que promete é fiel” (Hb 10:23).

Reflita sobre isso no dia de hoje e ore comigo agora:

Obrigado, Pai, porque Tu és a nossa esperança. E a esperança, como diz a Tua Palavra, não nos decepciona. Nós louvamos e agradecemos a Ti porque podemos confiar em toda e qualquer situação. Em nome de Jesus, amém!


-> Narração: Amilton Menezes


Saiba como receber as mensagens diárias do Tempo de Refletir:

-> No celular, instale o aplicativo MANAH para Android e iOS

-> Para ver/ouvir no YouTube, inscreva-se neste Canal: youtube.com/AmiltonMenezes7

-> Para receber pelo WhatsApp, adicione 41 99507 0705 e mande um recadinho pedindo os áudios.

-> Instagram: @amiltonmenezes7

-> Twitter: @AmiltonMenezes

-> Facebook: facebook.com/AmiltonMenezes

 

 

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook