WebRadio

Central de Mídia - WebRádio Maranatha

Multiplicados por Deus


Gostou? Compartilhe!

Equipamentos de gravação em 1985

Se você já leu alguns dos relatos mencionados neste site, percebeu que a Rede Maranatha de Comunicação é resultado de muita fé, coragem, determinação e desprendimento de muitas pessoas.

Uma rápida pesquisa nos arquivos comprovará tudo isto. Sem dinheiro e sem experiência nenhuma em rádio, Amilton escreveu ao Dr. Milton Afonso, da Golden Cross, pedindo o patrocínio para um programa radiofônico. A resposta foi positiva. Eram apenas 15 minutos de duração em 4/10/81. Em março do ano seguinte, com a ajuda de outros voluntários, o programa estava com meia hora e, em horário nobre. Carlos e Euclides Menezes de Sá, Iraídes Lütz Nogueira e o valente dono da lambreta, Leonide Tossin, foram fundamentais no apoio a Amilton Menezes e ao empreendimento que iniciava.

O quarto de solteiro de Amilton serviu de sede e estúdio de gravações. Por ser uma velha casa de madeira só era possível gravar à noite. E, quase sempre havia um fundo musical de um grilo “cantando” ao vivo… Antes disso, tudo começou em um velho galinheiro desativado. Em fevereiro de 1984 foi lançada a “Campanha da Soja” visando obter recursos com agricultores, membros das igrejas na região, para construir a primeira sede própria. Os primeiros 300 tijolos, doados por Euclides M. de Sá, chegaram em uma velha carroça em um domingo de abril. Dois meninos, Paulo Santos e Flávio Souza (12 e 13 anos), não tinham dinheiro para ajudar. Seguiram então o exemplo bíblico de Rute. Saíram a “catar” restos de soja nas plantações nos arredores da cidade. Em duas semanas conseguiram um bom montante em dinheiro. Antônio, aquele que doara a vaca, ofertou soja e milho e dizia entusiasmado: “Estou recebendo bênçãos que nunca esperava!”

Além da árvore doada pelo “tio da juventude”, Silas Menezes, o “tio do bigode”, Oli Tossin, prometeu 15% de toda a renda que obtivesse com sua colheitadeira manual. Resultado: não conseguia dar conta dos pedidos para trilhagens e doou, na época, 45 mil cruzeiros. Foram dezenas de sacas de soja, milho, arroz e até lucro de costura, como o fez a costureira Noemi Calson.

A forração acústica foi comprada em Palmeira das Missões. O custo era de 313 mil cruzeiros. Através do nosso representante naquela cidade, Jairo Lütz Nogueira, conseguimos, com um desconto incrível, por apenas 80 mil cruzeiros. Enquanto isso o programa no rádio, recebia na época, de 10 a 25 cartas diariamente.

Louvado seja DEUS!!

 

A Rede Maranatha de Comunicação é um empreendimento missionário, voluntário, sem fins lucrativos, mantido por alguns poucos amigos que preferem o anonimato. Não promovemos campanhas de arrecadação de dinheiro ou fazemos qualquer comércio de nosso conteúdo de áudio, que é disponibilizado gratuitamente para download. Nossa missão é espalhar a boa notícia da salvação e do retorno de Jesus. Porém, veja o que você pode fazer: http://goo.gl/I33G8n

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook