WebRadio

Central de Mídia - WebRádio Maranatha

Jesus parou


Gostou? Compartilhe!

TEMPO DE REFLETIR 1346 – 7 de setembro de 2017

“Parou Jesus e disse: Chamai-o” (Marcos 10:49).

Jesus havia completado Seu ministério na Galiléia. Ele avança rumo à antiga cidade de Jerusalém para o último ato do drama. Ao passar por Jericó, a 25 quilômetros de distância, Sua jornada é subitamente interrompida pelos gritos do cego Bartimeu, assentado à margem do caminho. Sabendo que a multidão que passa é liderada por Jesus, ele começa a fazer um grande alvoroço. “Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim” (v.7), ele grita. Acima do barulho da multidão, Jesus ouve o pedido de socorro.

A ação verbal aqui é de poderosa eloquência: “Parou Jesus” (v. 49). Mestre na arte de parar em tributo à pessoa em necessidade, Ele interrompe a jornada em completa atenção a esse cego, marginalizado dentro do sistema social e religioso. De acordo com o dogma da retribuição, esses desafortunados estavam pagando os pecados de seus pais ou os próprios pecados. O exercício do sacerdócio fora proibido aos cegos e deformados (Lv 21:17-21), mas aquilo que era algo específico, apenas em relação ao sacerdócio , foi generalizado. Entre os fariseus havia a crença de que eles não eram obrigados a ter piedade dessas pessoas. Alguns chegavam a se orgulhar de atirar-lhes pedras. No caso dos essênios, uma seita do judaísmo, os cegos e portadores de deficiências físicas eram excluídos de suas comunidades. Não eram considerados dignos de ajuntar-se à guerra escatológica entre os eleitos contra as hostes de Belial e muito menos de partilhar do banquete messiânico.

Aqui Jesus Se eleva acima das regras religiosas inventadas para segregar seres humanos. Com esse ato, Jesus está dizendo:: “Você conta. Você tem valor”. Extraordinário! Com tempo limitado para Sua estupenda missão, nunca O encontramos apressado. Em nenhuma circunstância está ocupado demais. Nunca afetado ou “graduado”, que não pudesse parar para atender a quem O buscasse. Em Jesus, não encontramos a frase comum hoje: “Falo com você depois”.

“Chamai-o”, é Sua ordem. A multidão que fora incapaz de fazer o cego calar-se, agora passa a encorajá-lo: “Tem bom ânimo […] Ele te chama” (v.49). Esse é Seu último milagre relatado em Marcos. A sombra da cruz já se projeta sobre Ele, a caminho de Jerusalém, onde a traição, o abandono e as últimas gotas do cálice O aguardam. Ainda assim, Ele toma tempo para esse pobre fragmento humano. Que estímulo extraordinário para busca-Lo! Que grande estímulo para atender os que nos buscam em necessidade!


-> Música: Jeferson Tavares, ”Eu já fui cego”
-> Locução: Amilton Menezes

Para receber pelo WhatsApp, adicione 41 9507 0705 e mande uma mensagem pedindo os áudios. Se você tem Telegram, adicione nosso canal: telegram.me/tempoderefletir – Prefira, porém, o aplicativo MANAH, onde você terá todos os áudios à disposição.

Gostou? Compartilhe!

Comentários Via Facebook